Como usar a margem de contribuição na gestão de sua empresa?

 

Existem vários aspectos importantes que um empresário deve saber ao iniciar sua empresa, desde o plano de negócio, passando por aspectos legais e societários e, é claro, ele deve estar bastante familiarizado com os números do negócio. Assim, um conceito que se faz bastante importante é o de margem de contribuição, uma vez que o seu entendimento é extremamente necessário para a sobrevivência do negócio e não só em seus primeiros anos, mas durante todo o ciclo de vida da empresa. Vamos agora entender a importância deste conceito.

 

Afinal de contas, o que é a margem de contribuição?

A margem de contribuição, que não deverá ser confundida com a margem de lucro, de forma bastante simples é a diferença entre todos os gastos variáveis e a receita do período ou ainda poderá ser entendida como preço de venda subtraído de custos e despesas variáveis.

 

Este cálculo permite compreender quanto a empresa ainda tem para arcar com seus custos e despesas fixos, ou seja, o restante dos gastos que ela possui em sua estrutura.

 

Custos e despesas variáveis

Um importante conceito não só para o correto cálculo da margem de contribuição, mas também para a gestão de uma empresa é o de gastos variáveis, que engloba tanto as despesas quando os custos variáveis.

 

No primeiro caso, são os gastos efetuados pela empresa para obter suas receitas e que não possuem relação com a produção, mas que podem variar com o seu aumento. Entre eles estão os gastos com fretes e carretos, comissões de funcionários, combustível dos veículos de venda, entre outros.

 

Já no caso dos custos variáveis, há relação direta com a produção, logo os gastos com matéria-prima e mão de obra estão nesta categoria. Nos dois casos, quanto mais a empresa produzir e vender, maior será o gasto variável.

 

Separação dos gastos fixos dos variáveis: uma tarefa nem sempre fácil

A chave para o cálculo da margem de contribuição é o entendimento de como sua empresa funciona e de como ocorrem os gastos. Lembre-se que seu aluguel será o mesmo independentemente de sua produção, o que já não ocorre com o consumo de matéria-prima, que cresce proporcionalmente à produção.

 

Margem de contribuição por produto

Uma das formas de utilização gerencial da margem de contribuição é o seu cálculo por produto, ou seja, a demonstração de quanto cada produto de uma linha contribui para o pagamento dos custos e despesas fixos.

 

Este cálculo é importante, uma vez que alguns produtos podem ter uma margem de contribuição menor que outros, já que seus custos e despesas variáveis podem ser mais altos. Assim, em decisões gerenciais envolvendo o incentivo da produção de determinado produto ou ainda o corte da linha produtiva de outro, a margem de contribuição terá papel decisivo para o gestor.

Entendendo qual produto contribui mais ou menos com sua estrutura de custos, também poderão ser tomadas algumas medidas de incentivo para que os vendedores foquem mais em um produto ou ainda para que façam estratégias combinadas de venda entre dois ou três diferentes produtos.

 

A margem de contribuição também poderá ser utilizada para estratégias na diminuição dos custos variáveis, como a troca da matéria-prima por outra com menor custo ou decisões envolvendo a terceirização da mão de obra, por exemplo.